Hogwarts Hollow Years
Sejam muito bem vindos à reabertura da grande escola de Magia e Feitiçaria, Hogwarts.
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 9 em Dom Ago 30, 2015 11:03 pm
Últimos assuntos
» Salão Principal.
Qua Abr 18, 2012 7:43 am por Primrose Rinaldi

» Apresente-se
Sab Abr 14, 2012 9:25 am por Primrose Rinaldi

» Chat Off
Dom Abr 08, 2012 8:15 pm por Enoque Kauffman

» Chapéu Seletor (Fichas)
Qui Abr 05, 2012 8:48 pm por Gabrielly L. Way

» Parcerias
Qua Abr 04, 2012 9:33 am por Primrose Rinaldi

» Sorveteria Florean Fortescue
Seg Abr 02, 2012 1:33 pm por Enoque Kauffman

» Varinhas Olivaras
Seg Abr 02, 2012 7:43 am por Primrose Rinaldi

» Sugestões, Críticas e Dúvidas
Dom Abr 01, 2012 12:59 pm por Enoque Kauffman

» O Caldeirão Furado
Dom Abr 01, 2012 4:13 am por Enoque Kauffman

Copa das Casas
0 0
0
0

Lista de Animais Mágicos -M-S

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Lista de Animais Mágicos -M-S

Mensagem por Admin em Dom Mar 25, 2012 2:41 pm

― Você encontra a lista completa de animais mágicos aqui.


O Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas classifica todos os animais, seres
e espíritos conhecidos, oferecem assim um guia imediato para a periculosidade conhecida da criatura. As cinco classes são as seguintes:

XXXXX - Mata bruxos / Impossível treinar ou domesticar
XXXX - Perigoso / Exige conhecimento especializado / bruxo perito pode enfrentar
XXX - Bruxo competente pode enfrentar
XX - Inofensivo / Pode ser domesticado
X - Tedioso

Lista de M - S:

MALAGARRA (MACKLED MALACLAW )
Classificação M.M.: XXX
A mackled malaclaw (malagarra) é uma criatura terrestre encontrável principalmente nas costas rochosas da Europa. Apesar de sua leve semelhança com a lagosta, ela não deve em hipótese alguma ser ingerida porque sua carne é imprópria para o consumo humano e provocará febre alta e uma feia urticária esverdeada. A malagarra pode atingir o comprimento de trinta centímetros, seu corpo é cinza-claro com pintas verde-escuras. Alimenta-se de pequenos crustáceos e tenta atacar presas de maior tamanho. Sua mordida tem o singular efeito colateral de tornar a vítima extremamente azarada por um período de até uma semana após a mordida. Se alguém, for mordido por uma malagarra, deve cancelar todas as apostas, investimento de risco e especulações porque certamente terá prejuízos.

MANTÍCORA (MANTICORE)
Classificação M.M.: XXXXX
A mantícora (manticore) é um perigosíssimo animal grego com cabeça humana, corpo de leão e rabo de escorpião. Tão feroz quanto a quimera e igualmente rara, a manticora tem fama de cantar baixinho enquanto devora a presa. Sua pele repele quase todos os feitiços conhecidos e sua mordida pode causar morte instantânea.

MINOTAURO (MINOTAUR) [Novo]
Classificação pelo M.M.: XXXX
São humanos transfigurados por artes das trevas poderosíssimas e antiquíssimas. Em tempos antigos eles foram lacrados na ilha de Creta para não oferecer perigo ao mundo, mas algum bruxo das trevas os libertou sem nem imaginar o que faziam e, além de ser morto, presenteou o mundo com esse perigo novamente. Minotauros tem a forma humanóide, muito grandes ultrapassando dois metros e meio, tem o corpo no formato humano, pata de boi, dois grandes chifres, pêlos abundantes, mãos humanas com unhas afiadas e grandes e focinho de bovino. Fortes com seus músculos protuberantes, levemente curvados e sempre procurando algo para destruir. Moram pelas florestas e costumam aquietar-se em locais remotos, onde bruxos supervisionam suas atividades. Minotauros não são inteligentes e acreditava-se que não poderiam reproduzir-se, a única forma de fazê-lo é fecundando uma mulher fértil, que terá uma criança comum, essa criança começará a apresentar as características de minotauro durante seu crescimento, sendo abandonada, pega por bruxos ou levada pelo seu próprio "pai" minotauro, que tem um instinto paternal ferrenho. São raríssimos e o ministério da magia prefere deixar sua existência em sigilo.

MORTALHA-VIVA (LETHIFOLD)
Também conhecida como Living Shroud (Manto Letal)
Classificação M.M.: XXXXX
A mortalha-viva (lethifold) é, felizmente, uma criatura rara, encontrada somente em climas tropicais. Lembra um manto negro de pouco mais de um centímetro de espessura (mais grosso quando acabou de matar e digerir uma vítima) que rasteja pelo chão durante a noite. A noticia mais antiga que se tem uma mortalha-viva foi descrita pelo bruxo Flávio Belby, que teve a sorte de sobreviver a um ataque desse animal em 1782 quando passava as férias em Papua, na Nova Guiné.

"Por volta de uma hora da manhã, quando eu começava finalmente a me sentir, ouvi um farfalhar muito próximo. Acreditando que eram apenas as folhas da árvore lá fora, mudei de posição na cama, deixando as costas viradas para a janela, e avistei o que pareceu ser uma sombra disforme deslizando pela porta do meu quarto. Fiquei parado, tentando sonolentamente adivinhar o que produzia tal sombra em um quarto iluminado apenas pelo luar. Sem dúvida a minha imobilidade levou a mortalha-viva a acreditar que sua vítima potencial estava adormecida, Para meu horror, a sombra começou a subir sorrateiramente em minha cama, e senti o seu peso leve sobre mim. Parecia apenas um manto preto ondulante, suas pontas farfalhavam levemente enquanto ela avançava para mim. Paralisado de medo, senti o seu toque úmido no meu queixo antes de me sentar com um movimento brusco. A coisa tentou me sufocar, subindo inexoravelmente pelo meu rosto, tampando minha boca e as narinas, mas eu continuei a me debater, sentindo o tempo todo a sua friagem envolvente sobre mim. Incapaz de pedir socorro, tateei à procura da minha varinha. Tonto porque a coisa se colava ao meu rosto, incapaz de inspirar concentrei todas as minhas forças para lhe lançar um Feitiço Estuporante, e então, como este não fosse suficiente para dominar a criatura, embora tivesse aberto um buraco na porta do meu quarto - tentei uma Azaração de Impedimento, que também de nada adiantou. Ainda me debatendo como um louco, me virei de lado e caí pesadamente no chão, agora envolto pela mortalha. Eu sabia que estava preste a perder completamente a consciência, sufocado. Desesperado, reuni minha última reserva de energia. Apontei a varinha para longe de mim, para as dobras letais da criatura, procurando trazer à lembrança o dia em que fui eleito presidente do Clube de Bexigas da minha cidade, e executei um Feitiço Patrono. Quase na mesma hora senti o ar fresco no meu rosto. Ergui os olhos e vi a sombra letal ser atirada no ar pelos chifres do meu Patrono. Ela voou pelo quarto e deslizou depressa para longe da vista."

Conforme Belby revela tão dramaticamente, o Patrono é o único feitiço conhecido para repelir uma mortalha-viva. Mas, uma vez que ela sempre ataca pessoas adormecidas, suas vítimas raramente têm chance de usar a magia para se defender. Depois que a presa foi sufocada, o animal a digere ali mesmo na cama. Sai, então, da casa ligeiramente mais grossa e gorda do que entrou, sem deixar para trás o menor vestígio de si ou de sua vítima.É quase impossível calcular o número de vítimas da lethifold (mortalha-viva) porque ela não deixa pistas desua passagem. Mais fácil será calcular o número de bruxos que visando a objetivos inescrupulosos fingiram Ter sido mortos por esses mantos letais. O exemplo mais recente dessa duplicidade ocorreu em 1973 quando o bruxo Jano Thickey desapareceu, deixando apenas um bilhete escrito, às pressas, na mesa-de-cabeceira: "Ah, não, uma mortalha-viva me pegou, estou sufocando." Convencidos pela cama vazia e imaculada que aquele animal realmente tivesse matado Jano, sua mulher e seus filhos iniciaram um período de luto rigoroso que foi bruscamente interrompido quando descobriram que Jano estava vivendo a oitenta quilômetros de distância com a proprietária do Dragão Verde.

MURTISCO (MURTLAP)
Classificação M.M.: XXX
O murtisco (murtlap) é um animal semelhante a um rato encontrado nas áreas litorâneas da Grã-Bretanha. Tem uma saliência nas costas que lembra uma anêmona-do-mar. Quando essa pseudoflor saliente é ingerida em conserva produz resistência a feitiços e azarações embora uma overdose possa causar crescimento de pêlos de sor púrpura nas orelhas. O murtisco se alimenta de crustáceos e dos pés de qualquer uma que caia na tolice de pisar em cima dele.

NECROPOLITANO (NECROPOLITAN) [Novo]
Classificação pelo M.M.: X
Durante anos e anos egípcios mumificaram seus mortos imaginando que poderiam, um dia, tê-los de volta. E eles não se enganaram em tudo. Alguns mortos não perderam seus corpos para se tornarem fanstasmas, e não perderam sua consciência para serem inferis. Os rituais rúnicos, aritmânticos, metódicos e extremamente trabalhosos dos egípcios geraram uma criatura mágica completamente inovadora, um homem morto. Eles foram não só mumificados mas também cadáveres vítimas de diversos outros rituais pagãos para "vida eterna", e levantaram-se mais uma vez para viver entre todos os vivos.
Os Necropolitanos vivem pacificamente e reclusos da sociedade, pelo preconceito que sofrem. Seus corpos não são importais, então sempre precisam trocar de um para outro, esse ritual é extremamente complexo e feito apenas entre eles, modificam o cérebro de um corpo para o outro, que é a única parte que não se deteriora com o tempo. Possuem uma existência pacífica e calma, mesmo sendo mortos-vivos. Para não cheirarem mal tomam periódicos banhos de uma espécie de formol mágico, que conserva por mais tempo sua aparência "viva".
Sobraram, pela história, apenas poucos necropolitanos no mundo, aproximadamente cinquenta. Todos preferem viver em locais subterrâneos e conviver entre eles, vários já foram vítimas de estudo científico, mas notava-se apenas corpos mortos com poeira na caixa craniana. Não importa o quanto se mutile o corpo dele, seu único ponto fraco é o cérebro.
Praticamente nenhum possui capacidade ou resistência mágica, só a experiência de milhares de anos de "vida".

NUNDU (NUNDU)
Classificação M.M.: XXXXX
Esse animal da África Oriental é indiscutivelmente o mais perigoso do mundo. Um enorme leopardo que se desloca em silêncio, apesar de seu tamanho, e cujo o hálito causa uma doença capaz de eliminar um povoado inteiro, o nundu nunca foi subjugado por menos de cem bruxos qualificados juntos.

OCCAMI (OCCAMY)
Classificação M.M.: XXXX
O occami (ocamy) é encontrado no Extremo Oriente e na Índia. Esse bípede emplumado, com asas e corpo de serpente, pode alcançar o comprimento de quatro metros e meio. Alimenta-se principalmente de ratos e aves, embora haja notícia de que ataque macacos. O occami é agressivo com todos que se aproxima dele, especialmente quando se trata de defender seus ovos cujas cascas são feitas da prata mais pura e maleável.

ORAQUI-ORALÁ (DIRICAWL)
Classificação M.M.: XX
O oraqui-oralá (diricawl) teve origem na ilha Maurícia. Esta ave roliça, de penas fofas e incapaz de voar, se destaca pelo seu método de fugir do perigo. Ele desaparece em meio a uma nuvem de penas e reaparece em outro lugar. O interessante é que no passado os trouxas conheciam perfeitamente a existência do oraqui-oralá, embora lhe dessem o nome de "dodo". Por não perceberem que a ave podia desaparecer quando queria, os trouxas acreditaram que tivessem provocado a extinção da espécie por caçá-la em demasia. Uma vez que tal crença parece Ter despertado a consciência trouxa para os perigos de matar outras criaturas indiscriminadamente, a Confederação Internacional dos Bruxos sempre achou prudente não informar aos trouxas que o oraqui-oralá continuava a existir.

OURIÇO (KNARL)
Classificação M.M.: XXX
O ouriço (knarl) (Europa Setentrional e América do Norte) é em geral confundido pelos trouxas com o porco-espinho. As duas espécies são de fato indistinguíveis, exceto por uma diferença importante em seu comportamento: se deixarmos comida no jardim para um porco-espinho, ele a aceitará e apreciará o presente; por outro lado, se oferecermos comida a um ouriço, ele irá supor que o dono da casa está tentando atraí-lo para uma cilada, e destruirá as plantas e ornamentos do jardim da casa. Muitas crianças trouxas já foram acusadas de vandalismo quando o verdadeiro culpado foi um ouriço.

PELÚCIO (NIFFLER)
Classificação M.M.: XXX
O pelúcio (niffler) é um animal britânico. Fofo, preto, de focinho longo, essa criatura que faz tocas subterrâneas tem predileção por tudo que brilha. Ele é muitas vezes criado por duendes para cavar as profundezas da terra em busca de tesouros. Embora este animal seja manso e até capaz de se afeiçoar, é muito destrutivo e jamais deve ser mantido dentro de casa. Ele vive em covas que podem atingir seis metros de profundidade e tem de seis a oito filhotes em cada ninhada.

POGREBIN (POGREBIN)
Classificação M.M.: XXX
O pogrebin é um demônio russo que tem menos de trinta centímetros de altura, um corpo peludo, mas uma enorme cabeça cinzenta e lisa. Quando encolhido, o pogrebin lembra uma pedra redonda e reluzente. Esse demônio é atraído pelos humanos e gosta de segui-los andando à sombra e se abaixando rapidamente quando a sombra se vira para ele. Se um humano permitir que o pogrebin o siga durante muitas horas, será envolvido por um sensação de grande futilidade que finalmente o fará cair em um estado de letargia e desespero. Quando a vítima pára de andar e cai de joelhos para chorar a inutilidade de tudo, o pogrebin saltará sobre ela e tentará devorá-la. Porém é fácil repeli-lo com azarações simples ou Feitiços Estuporantes. Chutá-lo para longe também pode ser eficaz.

POCOTÓ (PORLOCK)
Classificação M.M.: XXX
O pocotó (porlock) é um guardião de cavalos encontrável em Dorset, uma região da Inglaterra, e no sul da Irlanda. Tem o corpo coberto por uma pelagem comprida e, na cabeça, uma maçaroca de pêlos duros além de um nariz excepcionalmente grande. Suas patas são cascos fendidos. Seus braços são pequenos e terminam em quatro dedos curtos e grossos. Quando adultos, atingem cerca de sessenta centímetros de altura e se alimentam de capim. O pocotó é acanhado e vive para proteger os cavalos. Ele pode ser encontrado escolhido no meio do feno dos estábulos ou então se escondendo no meio da manada. Os pocótos desconfiam dos humanos e sempre se afastam quando eles se aproximam.

POMORIM (SNIDGET)
Classificação M.M.: XXXX
O pomorim (snidget) é uma espécie de pássaro extremamente rara e protegida por lei. Todo redondo. Com um bico longo e fino, olhos vermelhos e brilhantes como pedras preciosas, o pomorim dourado voa com excepcional velocidade e pode mudar de direção com incrível perícia e rapidez graças às dobradiças giratórias de suas asas. As penas e os olhos do pomorim têm tal valor que, no passado, a caçado que os bruxos lhe promoveram quase o levou à extinção. O perigo foi percebido a tempo e a espécie passou a ser protegida, o que resultou na notável substituição do pomorim pelo pomo de ouro no jogo de quadribol. Existem santuários de pomorins no mundo inteiro. O pomorim dourado recebe uma classificação XXXX não porque seja perigoso, mas porque quem os captura ou fere recebe penalidades severas.

PSEUDODRAGÃO (PSEUDODRAGON) [Novo]
Classificação pelo M.M.: XXXX
Os bruxos normalmente subestimam os pseudodragões... e morrem. Pseudodragões são pequenos répteis roxos alados e irritantes, teimosos, venenosos e rebeldes, com vários espinhos pelo corpo, pontiagudos ou não.
Séculos atrás um transfigurador das trevas tentou criar um dragão, ele transfigurava centenas de animais, e até seres humanos na intenção de gerar um dragão original. Testou répteis, anfíbios, mamíferos e tudo que tinha de vivo na natureza e nada conseguiu.
Um belo dia resolveu transfigurar um ovo de galinha, inseminações, artes das trevas e rituais depois nasceu um pinto... roxo. Claro que o maligno bruxo ficou extramamente decepcionado, então pegou o filhote e jogou fora. O Pinto sobreviveu por muito tempo e começou a criar escamas, presas, espinhos, as asas ficaram maiores e da aparência de morcegos. Tornou-se um "falso dragão" ou, como futuramente conhecido, "pseudodragão". O pinto revoltado, com fome, voltou ao laboratório e procurou comida, achou apenas o seu criador, que ficou fascinado pela criatura, mas não ela por ele. Quando foi capturá-lo o projeto de dragão foi ofensivo, abriu sua boca e lançou dezenas de pequenos espinhos como agulhas na garganta do transfigurador maluco, que morreu em dezenas de segundos envenenado.
Um pseudodragão vive em florestas quentes e escuras, procurando presas na surdina para envenená-las e consumí-las. Ao invés de lançar chamas, lança agulhas afiadíssimas que podem causar parada cardio-respiratória em até um minuto e dependendo do local que acerte. O mínimo é uma parada cardíaca em cinco minutos.
São extremamente ágeis, ardilosos e covardes. Preferem viver sozinhos e costumam se matar quando vivem em conjunto.
Se não incomodá-los quando não estão com fome, não incomodarão você.

PUFOSO (PUFFSKEIN)
Classificação M.M.: XX
O pufoso (puffskein) é encontrado no mundo inteiro. De forma esférica, coberto de pêlos macios cor de amarelo, é uma criatura dócil que não se importa de ser afagado ou atirado para todo lado. É fácil de cuidar e emite um zumbido surdo quando está satisfeito. A intervalos, ele estica para fora uma língua longa, fina e rosada que serpeia pela casa em busca de comida. O pufoso come qualquer coisa desde sobras de comida até aranhas, mas revela preferência especial por enfiar a língua no nariz dos bruxos adormecidos e comer as melecas que encontra. Essa tendência tornou-o muito querido pelas crianças bruxas há várias gerações, e ele continua sendo um bichinho de estimação muito popular.

QUIMERA (CHIMERA)
Classificação M.M.: XXXXX
A quimera (chimera) é um monstro grego raro com cabeça de leão, corpo de bode e rabo de dragão. Feroz e sanguinária, ela é extremamente perigosa. Só se conhece um exemplo de alguém que abatido uma quimera, mas o azarado bruxo em questão caiu do seu cavalo alado e morreu pouco depois, sem forças. Os ovos da quimera são classificados como Artigos Não Comerciáveis Classe A.

QUINTÍPEDE (QUINTAPED)
Também chamado MacBoon peludo
Classificação M.M.: XXXXX
O quintípede (quintaped) é um animal carnívoro perigosíssimo com um certo gosto por humanos. Seu corpo atarracado e rente ao chão é coberto por pêlos castanho-avermelhados, do mesmo modo que suas pernas, que terminam em patas tortas. Ele é encontrado na ilha de Drear, ao largo do extremo norte da Escócia, razão pela qual a ilha foi considerada imapeável. Conta a lenda que, no passado, a ilha de Drear ela povoada por duas Famílias bruxas, os McClivert e os MacBoon. Um duelo de bêbados entre Dulgad, chefe do clã McClivert, e Quino, chefe do clã MacBoon, terminou com a morte de Dulgad. Em retaliação, assim conta a lenda, um grupo dos McClivert cercou as casas dos MacBoon, certa noite, e transfigurou cada membro da família em um monstruoso animal de cinco patas. Os McClivert perceberam, tarde demais, que os MacBoon, depois de transformados, tinham se tornado infinitamente mais perigoso do que antes (eram famosos por sua grande incompetência em magia). Além disso, os MacBoon resistiram a todos as tentativas de fazê-los voltar à forma humana. Os monstros mataram todos os McClivert até não resta um único ser humano na ilha. Foi então que os monstros MacBoon se deram conta de que na falta de alguém para brandir uma varinha, eles seriam forçados a continuar como estavam para o resto da vida. Se a lenda é ou não verdadeira ninguém jamais saberá. Pois é certo que não sobreviveu nem McClivert nem MacBoon para nos contar o que aconteceu com os seus antepassados. Os quintípedes não são dotados de fala e têm resistido energicamente às tentativas do Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas de capturar um espécime e tentar retransformá-lo, por isso temos que supor que se eles forem realmente, conforme sugere seu apelido, os MacBoon peludos, devem estar muito satisfeitos de passar a vida inteira como animais.

RABICURTO (NOGTAIL)
Classificação M.M.: XXX
O rabicurto (nogtail) é demônio encontrado nas áreas rurais de toda a Europa, Rússia e América do Norte. Ele lembra um porquinho anão com pernas longas, rabo grosso e curto, e olhos pretos e miúdos. O rabicurto entra sorrateiro em uma pocilga e mama em uma porca normal ao lado dos seus filhotes. Quanto mais tempo ele é deixado em liberdade e quanto maior se torna, tanto maior a destruição na propriedade em que penetrou. O rabicurto é extraordinariamente rápido e difícil de capturar, mas se for afugentado até os limites da propriedade por um cão todo branco ele não voltará. O Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas (Subdivisão de Pragas) mantém uma dúzia de sabujos albinos para esse serviço.

RAMORA (RAMORA)
Classificação M.M.: XX
A ramora é um peixe prateado encontrável no Oceano Índico. Dotada de poderosa magia, ela ancora navios e protege os navegantes. Esse peixe é muito valorizado pela Confederação Internacional de Bruxos que estabeleceu várias leis para protegê-lo dos pescadores bruxos.

RATO DA LUA (MOON RAT) [Novo]
Classificação M.M.: X / XXX
Os ratos da lua são criaturas extremamente fascinantes e raramente distinguidas dos animais normais. Eles habitam todos os mesmos locais que ratos normais habitam, esgotos, fossas, locais escuros, buracos, etc mas isso apenas pela manhã. Seu aspecto em nada se difere dos outros, completamente comuns, normalmente de uma raça vulgar. A grande transformação é no momento em que o sol se põe e a lua tem sua influência sobre eles, que, misticamente, ficam inteligentíssimos! Começam a organizar-se em algum local específico e discutir coisas completamente fora da nossa compreensão, na língua deles. Eles entendem perfeitamente o que todos falam, só que não tem cordas vocais evoluídas, então o que os outros entendem é: "quiquiquiquiqui...". O mais interessante é que de manhã eles simplesmente tornam-se irracionais novamente, não lembrando de nada que ocorreu na última noite.

REQUE (SHRAKE)
Classificação M.M.: XXX
É um peixe inteiramente coberto de espinhos e encontrável no oceano Atlântico. Acredita-se que o primeiro cardume foi criado como uma vingança contra pescadores trouxas que insultaram navegantes bruxos no início do século XIX. Desde então, quando recolhem suas redes naquela área do mar, os trouxas as encontram rasgadas e esvaziadas pelos reques que nadam sob elas.

RÊS-MA (RE'EM)
Classificação M.M.: XXXX
Boi gigante e raro de couro dourado, a rês-ma é encontrável nas regiões agrestes da América do Norte e do Extremo Oriente. Seu sangue dá a quem bebe uma força imensa, embora a dificuldade em obtê-lo torne o seu estoque mínimo e raramente disponível no mercado livre.

SEMINVISO (DEMIGUISE)
Classificação M.M.: XXXX
O seminviso é encontrado no Extremo Oriente, embora não seja fácil localizá-lo, porque pode se tornar invisível quando ameaçado. Disto decorre que só pode ser visto por bruxos treinados para sua captura. O seminviso é um animal herbívoro e pacífico, cuja aparência lembra a de um gracio so macaco com grandes olhos negros e tristes, em geral escondidos sob os pêlos da cabeça. O corpo inteiro é coberto por pêlos longos, finos e sedosos. Essa pelagem é muito valorizada porque seus fios podem ser usados para tecer capas da invisibilidade.

SEREIANOS (MERPEOPLE)
Também conhecidos por seus nomes regionais (Sirens, Selkies e Merrows)
Classificação M.M.: XXXX
Os sereianos (merpeople) existem em todo o mundo, embora variem de aparência como os humanos. Seus hábitos e costumes permanecem tão misteriosos quanto os do centauro, embora os bruxos que aprendam o serêiaco nos falem de comunidades excepcionalmente organizadas, cujo tamanho varia conforme a localização, havendo algumas com habitações muito bem construídas. Do mesmo modo que os centauros, os sereianos abriram mão da condição de "seres" em favor da de "animais" (veja Introdução). Os sereianos mais antigos de que se tem registro são conhecidos pelo nome de sereias (Grécia) e é nas águas mais tépidas que encontramos as belas sereias descritas na literatura trouxa e representadas em suas pinturas. Os selkies da Escócia e os merrows da Irlanda são menos belos, mas revelam o mesmo amor à música comum a todos os sereianos.

SERINGA (LOBALUG)
Classificação M.M.: XXX
É encontrada nas profundezas do Mar do Norte. É uma criatura simples com vinte e cinco centímetros de comprimento , formada por um esguicho flexível e uma bolsa de veneno. Quando ameaçada, ela contrai essa bolsa e esguicha veneno no atacante. Os sereianos usam a seringa como arma, e sabe-se que há bruxos que extraem o veneno desse animal para usá-lo em poções, embora tal prática seja rigorosamente controlada.
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 136
Data de inscrição : 24/03/2012

Ver perfil do usuário http://hogwartshollowyears.forumeiros.eu

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum